...e esse Monumento, heim?!

Posted: quinta-feira, 18 de setembro de 2014 by Emmanuel do N. Sousa in
2


Independente do mérito da obra, o resumo da ópera, sobre os 150 Anos de Campina Grande é um só: FICOU TUDO PRA ÚLTIMA HORA. Se vale comparar, a Comissão do Centenário foi formada dois anos antes, em 1962. Para o Sesquicentenário ninguém ousou tocar no assunto até o radialista Geovanne Santos, indignado com o ostracismo, provocar o Poder Público através do seu jornalístico matinal e a Professora Yara Lyra declarar em bom tom que NADA estava sendo programado muito menos a Comissão estava se encontrando e, pasmem, isso já em 2014!!!

Depois dessa série apresenetada via Rádio Campina FM, "rapidamente" a Prefeitura começou a se mexer: apresentou como primeiro ato às comemorações uma iniciativa do Jornal da Paraíba de lançar fascículos colecionáveis até o mês de Outubro. Depois veio a apresentação do projeto do Monumento como marco fundamental da comemoração.

Esse monumento faraônico, que não estará pronto em 11 de Outubro, se tivesse sido planejado em tempo hábil deveria, portanto, ser fruto de um certame, coisa que não houve sequer para a logomarca. Tudo foi imposto pela PMCG, sem que o próprio campinense tivesse oportunidade de participar dos eventos pré-comemorativos.

Nada de extraordinário, até agora, foi anunciado como programação do Sesquicentenário; uma corrida e uma apresentação de paraquedismo, além do lançamento de uma revista institucional e um concurso de poesias restrito aos alunos da rede pública de ensino.

O desleixo com essa data marcante é visível. No final, vão lá montar um palco pra apresentação de qualquer banda esdrúxula dessas que reúne multidão de abnegados consumidores do pão e circo da escola maquiavélica, tão facilmente aplicada (e aceita) como forma de gestão em nossa querida e desprezada Campina Grande e dado como comemorado o seu Sesquicentenário.

Campina Grande, 150 Anos... DEUS SALVE A RAINHA!!!