Maior São João do Mundo: Em Busca da Pesquisa

Posted: quarta-feira, 6 de julho de 2011 by Emmanuel do N. Sousa in
5


É primaz ressaltar que um bom jornalista preza pela qualidade dos seus editoriais, pela imparcialidade e, sobretudo, pela fidedignidade das suas fontes de informações.
Apesar de não ser jornalista, apenas um metido a comentar assuntos alheios ao meu cotidiano profissional, porém de extrema importância para o lado pessoal, também procuro fundamentar bem meus comentários, seja crítico ou informativo.
Semana passada fiquei enaltecido com a divulgação em massa dos portais locais de que Campina Grande, em seu evento macro “Maior São João do Mundo” figurara em 4º lugar em termos de potencialidade econômica, em nível nacional, preterido em preferência aos festejos momescos do Rio de Janeiro, Salvador e Recife. Dados constatados através de uma pesquisa realizada pela Fundação Getúlio Vargas junto ao Ministério do Turismo.

As rádios locais despejaram a notícia por vários dias, conotando os números ao evento realizado neste ano em curso. Os portais repetiram a notícia à exaustão!

Aquela notícia encheu o cidadão campinense de orgulho! Cada um que estufasse mais o peito e espalhasse a boa nova, desdenhando de outros grandes eventos realizados por cidades vizinhas e/ou grandes metrópoles nacionais.
O orgulho que me sobejava por outro lado me desconfiava; não consegui achar a tal pesquisa publicada em lugar nenhum! Foram horas de busca nos portais de notícias (que simplesmente reproduzem-se uns pelos outros), como também nos ‘sites’ oficiais da FGV e do MinTur e NADA!
Nenhuma referência sequer à qualquer ‘tag’ digitada nos mecanismos de busca desses ‘sites’, ou qualquer outro ambiente virtual.
Nem no Twitter, considerado o caldeirão das informações imediatas, consegui ninguém que me informasse, ou confirmasse a existência dessa pesquisa publicada! Consultei, inclusive, o perfil oficial do Ministério do Turismo (@MTurismo) e não obtive retorno da consulta.
Afora algumas personalidades locais que já tratam esses dados estatísticos como blefe de ‘marketing’ político, eu me recuso a continuar enaltecendo essa matéria originada em portais de informação institucional, até que me seja apresentada a pesquisa física, em publicação oficial do qualquer dos órgãos realizadores.
Torço muito para encontrá-la, pois estou com muita vontade de ter, realmente, orgulho da nossa festa tradicional que, não importa quem a promova, é Patrimônio Imaterial do nosso povo!

5 comentários:

  1. Sonaly says:

    Acabei de ler teu e-mail sobre a pesquisa da FGV. Tudo muito #estranho mesmo! Será que querem nos fazer de bestas???

  1. Miguel Robério Cipriano says:

    Manneh,


    Como sempre vc escreveu muito bem. Parabéns!


    Robério

  1. Luciana Brito says:

    Esse meu amigo é o cara viu. É piiiiiiii mesmo.

    Xero amigo.


    Saudades de você.



    Luciana

  1. Amanda Falcão says:

    É impressionante como você se preocupa mais com a informação do que muitos jornalistas..adorei o texto do blog... Aliás, gostei do texto sobre a marcha da maconha também. Mas há muito o que se debater ainda.... Mas sério, vc é jornalista de alma. Por isso, mesmo sendo diplomada, acredito que diploma não é atestado de capacidade!

  1. Emmânuel Lucena says:

    Muito bom! É importante checar sempre a veracidade das coisas que a gente recebe. Confesso que não me interessei em buscar mais detalhes... até estranhei que a maioria das notícias não viesse acompanhada de um link, que nos remetesse ao portal da FGV ou do Ministério do Turismo, mas a despeito disso, espero que sua mensagem chegue a quem possa nos esclarecer, homonimo! ehehehe.

    Mano.