Começou a Campanha Eleitoral de 2014!

Posted: quarta-feira, 27 de abril de 2011 by Emmanuel do N. Sousa in
0

Eis que a Campanha Eleitoral de 2014 já começou!!
 
O prefeito de Campina Grande Veneziano Vital esperava, ansiosamente, a primeira oportunidade oferecida pelo Governador Ricardo Coutinho para que se instalasse, forçadamente, o clima de animosidade entre ambos.

Chico César, em tom repugnante, declarou na semana passada que Campina Grande não viria um centavo dos recursos estaduais investidos na tradicional festa junina que dura 30 (trinta) longos dias.

A declaração foi amplamente ‘moída’ pelos órgãos de imprensa e pragmaticamente contestada pelas assessorias administrativas do Município, fazendo desse o primeiro motivo de descontentamento da gestão local à estadual.

Alguns dias mais tarde, veio a calhar o agendamento da tão esperada audiência entre o prefeito Veneziano e o governador Ricardo. Soou entre os portais de notícias que Vené desdenhara a agenda e adiaria o encontro.
Porém, ambos se encontraram e trataram, a portas fechadas, assuntos que com certeza ultrapassaram o âmbito institucional.

Até que veio a repercussão sobre a apresentação dos indicativos da Saúde Pública do Município de Campina Grande junto ao Ministério da Saúde, pelo governador Ricardo Coutinho ao Cabeludo!
Pronto! Faltava mais nada!

No dia seguinte todos os secretários municipais já trajavam as armaduras de combate e as rádios e jornais já recebiam os guerreiros da administração municipal contestando os números apresentados, isso já tentando criar um clima de bairrismo por parte do Mago da Capital para com a Rainha da Borborema.

A verdade é que hoje temos no Governo do Estado um gestor administrativo, ao invés de um Governador voltado às práticas ultrapassadas da politicagem viciada. Segundo notamos, vem tentando gerir a Paraíba, desde sua posse, através de medidas administrativas e gerenciais.

Dizer “não” e fazer alertas também faz parte do cotidiano gerencial, ainda mais para quem se mostra preocupado com o Estado como parte de um todo.

Campina Grande já deveria ter sua autonomia financeira em relação a’O Maior São João do Mundo. O evento já deveria ter sido profissionalizado há muito tempo. Mas, nenhum prefeito quis ‘largar a rapadura’ até hoje.

Por conta desse tipo de discussão, todo pequeno Município do Estado também se acha no direito de criar suas próprias festas e angariar junto ao Governo o pagamento da fatura!

Ah, voltando ao assunto, já faz algum tempo que as “Novas Idéias” do prefeito campinense ficaram nos primeiros dois anos de gestão. Os interesses e ambições pessoais e familiares têm falado mais alto!

Seria muito bom se os gestores descessem do palanque quando as discussões envolvessem aplicação de políticas públicas ao bem comum, ao invés de priorizar a política do “pão e circo”.

Paixão por Quadrinhos

Posted: sexta-feira, 15 de abril de 2011 by Emmanuel do N. Sousa in
0

Quando as publicações da DC Comics da Editora Panini no Brasil atingem a marca de 100 edições, neste mês de março/2011, divirjo sobre a decisão de parar de acompanhar as publicações mensais regulares dos meus heróis preferidos ou aceitar a clemência dos amigos em não estagnar a coleção que já conta com cerca de 2.000 HQs ao longo 20 anos de coleção.

Advogando em defesa dos meus amigos e parentes mais próximos, está o vídeo anexo abaixo, tratando da paixão de dois cidadãos em seus cotidianos voltados às famílias e seus hobbies.

Parece que minha decisão não será tão fácil de ser assimilada por mim, tão menos pelos que me circundam, como eu supunha!!


O Massacre do Realengo

Posted: quinta-feira, 7 de abril de 2011 by Emmanuel do N. Sousa in
4


Brasil, 07 de abril de 2011. Esta data entra para a História nacional e, mundial, infelizmente marcada por uma das maiores tragédias já ocorridas em nosso país; um psicopata adentrou uma escola estadual  no Rio de Janeiro e alvejou dezenas de estudantes, adolescentes, de faixa etária dos 12 a 14 anos, sendo vitimadas 11 (onze) à óbito e mais outra dezena levada em estado grave às casas hospitalares locais para devidos procedimentos de socorro.

Assistir ao espetáculo promovido por emissoras classe B e C, como Band e Record só nos faz lamentar pela qualidade dos profissionais que infestam nossa TV com a exposição da dor, em benefício de uma audiência, quando famílias em desespero procura um motivo para a banalização da morte, ocorrida na manhã desta quinta-feira.

Porém, assistir aos demais programas jornalísticos, à exemplo do conceituado Jornal Nacional, com matérias comedidas e bem editadas, nos coloca em sentimento de comoção, sem a necessidade de apelar para a barbárie das imagens do local do ocorrido, ou a repetição desenfreada de depoimentos comovidos de pais, professores, policiais ou os colegas de escola, sobreviventes, porém, vítimas da mesma atrocidade.

Notícias como essa choca as famílias. Em pleno horário nobre, àquelas que ainda reúnem-se para o colóquio informal são apresentadas a mais um relato de crime banal, praticado por um genocida frio, meticuloso e calculista, o que nos coloca numa situação de sujeitos passivos ante tamanha indiferença à vida...

Eram crianças, Meu Deus do Céu, ERAM CRIANÇAS!!! Assim como as demais passíveis de cuidados hospitalares também são!

Como lamento ter nascido nessa época e ter de testemunhar atrocidades como esta, além da violência gratuita que impesta nosso cotidiano como mostram os noticiários dia, após dia.

Consternado! Revoltado! Triste e angustiado. Esse é o meu desabafo silencioso através das linhas desse blog.

O corpo de anjos do céu está recebendo uma turma de recrutas neste dia triste para todo o Brasil.

A Anistia dos 'Ficha-Sujas'

Posted: sábado, 2 de abril de 2011 by Emmanuel do N. Sousa in
0

Eu sempre fui um dos ferrenhos críticos das atitudes do ex-governador Cássio Cunha Lima quando o assunto era ética na política! O cara, claro, é líder de um dos grupos políticos que dicotomizam a política paraibana e sempre usou e abusou dos seus asseclas bonifrates para satisfazer seus intentos pessoais no cenário político estadual.

Depois de ter seu mandato usurpado pela confusa ação da Justiça nacional, que parece não se entender entre suas instâncias, o outrora “menino de Ronaldo” não se resignou, sacudiu a poeira e pôs a cela novamente sobre o cavalo e disputou a campanha para o senado, mesmo tendo seu registro negado pelo TRE com base na lei que já nasceu caduca, a Lei Ficha Limpa.

Eleito com a magnífica votação de mais de 1 milhão de votos, o ex-governador foi impedido de ser diplomado e, conseqüentemente, empossado e ficou à mercê da fila de processos do STF para que apreciassem seu caso, especificamente.

Porém, antes que seu mérito fosse discutido de forma particular, a Suprema Corte se reuniu mais uma vez, dessa feita contanto com o quórum ímpar para resolver, de forma definitiva ,a situação que perdurava sobre a aplicabilidade da Lei Ficha Limpa; constitucional ou não, válida ou não, etc!

Contando com a participação decisiva do novo Ministro Luiz Fux, que desempatou a ‘parada’, ficou determinado que a Lei Complementar 135/2010, a Lei Ficha Limpa, não teria seus efeitos aplicados ao pleito próximo passado, 2010 e, portanto, ficaram anistiados todos os processos pendentes de apreciação futura.

Com esta determinação, uma centena de políticos com “culpa no cartório” foram remidos e poderão gozar dos seus direitos conquistados nas urnas, entre eles nosso político-de-carreira Cássio Cunha Lima.

Pessoalmente falando, eu estava achando uma extrema falta de critério que uma porção de imundos da política nacional, como Paulo Maluf e Antony Garotinho, estivessem gozando dos privilégios em seus mandatos, legalmente diplomados, enquanto poucos outros, cerceados do mesmo prestígio, penavam em ‘via crucis’ jurídicas em busca do direito à assumir mandatos igualmente conquistados pelo sufrágio popular.

Cássio assumindo seu lugar no senado, provavelmente, será benéfico para Campina Grande, uma vez que contaremos com dois parlamentares de igual peso disputando prestígio entre os eleitores donde, esperamos, sobejem projetos que elevem nossa cidade, como também nosso Estado, aos grandes patamares do desenvolvimento durante os oito longos anos dos seus mandatos.

Encerrando o papo, ‘cá pra nóis’, quem é que é ficha suja, perto de Paulo Maluf ou Antony Garotinho, heim?