...até o Papa?!?!

Posted: sexta-feira, 29 de outubro de 2010 by Emmanuel do N. Sousa in
0

Depois da campanha de José Serra se utilizar de gerentes religiosos de agremiações evengélicas brasileiras, como Silas Malafaia e (sic!) Valdomiro Santiago, agora é a vez de utilizar a figura máxima do catolicismo mundial, o Santo Papa!

Se utilizando de método clichê, o candidato do PSDB à presidência, José Serra, volta o seu discurso de campanha ao tema “aborto” ao aliar a declaração do sumo pontífice ao seu ataque particular à candidata do PT, Dilma Rousseff, utilizando-se vastamente da figura papal em suas interpelações midiáticas.

Em declaração pública recente, direcionada ao clero brasileiro, o Papa Bento XVI afirmou que a conduta da igreja no Brasil deve prenunciar o direito à vida, de posição contrária ao aborto e à eutanásia; portanto, convocando os bispos brasileiros a provocar o questionamento cristão em relação ao voto a ser sufragado no próximo domingo.

Por outro lado, Dilma fez a velha média do “ele tem o direito de falar o que quiser, mas...” alegando que o Santo Padre tem toda a liberdade de se expressar quanto aos seus valores religiosos, porém, afirmando que pessoalmente não defendia o (mais uma vez!) aborto e que não se sente atingida pela opinião de Bento XVI.

O tema religiosidade não é exclusividade da campanha nacional. Na Paraíba, o mesmo tema é motivo de inúmeros embróglios junto à Justiça Eleitoral e Polícia Federal, pela utilização de panfletas apócrifos denegrindo pessoalmente o candidato Ricardo Coutinho.

No material apelativo, o candidato é tratado como ateu e praticante de religiões afro-brasileiras, enquanto que seu adversário, José Maranhão, é colocado como o “candidato cristão”, o homem de Deus!

Em campanha política, tudo se transforma em munição!  E o apelo religioso se tornou a principal arma da guerra que se instituiu nessa campanha eleitoral de 2010.

0 comentários: