Seleção Brasileira: Afinal, alguém tem de ser culpado sozinho?

Posted: domingo, 4 de julho de 2010 by Emmanuel do N. Sousa in
0

Não adianta... desde a última quinta-feira todos se confraternizam em seus colóquios afins prostrando as conjecturas pessoais sobre as causas que levaram a mais um fracasso da Seleção Brasileira na disputa de Copas do Mundo.

Eu fui um dos muitos céticos quanto ao sucesso desse grupo de escolhidos pela CBF para que Dunga sofresse os impropérios das torcidas e/ou colhesse os louros de uma provável conquista.

Minha opinião, já conhecida de quem lê meus artigos, é de que a causa dessa derrota não é isolada ao jogo contra a Holanda. Mas, sim, tem sua raiz na instituição maior que gere o futebol brasileiro, a CBF em seu eterno presidente Ricardo Teixeira e a política utilizada para constantes re-eleições, levando esta raiz a ramificar entre as Federações estaduais, agentes co-participes dessa perpetuação do poder evidenciado na CBF.

A imprensa, principalmente a emissora oficial da CBF, a Rede Globo, amargurados pelo tratamento imparcial imposto pelo técnico Dunga, tratou de lançar editoriais e mais editoriais, como esperado, ‘escrachando’ o treinador e, claro, o bode-espiatório  encontrado para sofrer o martírio de todo um elenco como se fora o único culpado pelos gols sofridos na derrota para o selecionado Holandês, o ex-flamenguista Felipe Melo, protagonista de lances inspirados em técnicas eqüinas adaptadas ao futebol.

Analisando o elenco, concordando com alguns jornalistas esportivos, somamos a unanimidade em exaltar a qualidade da defesa, goleiro Júlio César, e os zagueiros Lúcio e Juan; atletas sérios, dedicados, ‘raçudos’ além de humildes.

Porém, mais uma vez, destacamos o excesso de ‘mídia’ sobre algumas peças do grupo como Kaká, que pouco contribuiu durante os jogos em que se manteve em campo.

Sem falar no banco de suplementes, nitidamente visível a ausência de peças de reposição para os pífios titulares insistentemente mantidos no grupo principal.

De certo, após o término do evento, teremos o suspense para escolha do novo treinador para a Seleção... Não sei se devo ter esperança de contar com uma escolha sensata; alguém que renove o grupo e valorize quem realmente é craque de bola e não da mídia.

Aproveitando a desclassificação da Argentina, que saboreei com a imagem de Maradona engolindo sua empáfia, finalizo afirmando que brasileiros e argentinos se acham as maravilhas imponentes do futebol... Dessa forma, enquanto não descermos do pedestal da soberba, nenhuma derrota nos servirá de aprendizado.

0 comentários: