O Polemista Diogo Mainardi e a "Seleção" Brasileira

Posted: quarta-feira, 9 de junho de 2010 by Emmanuel do N. Sousa in
2

O polemista Diodo Mainardi, jornalista multimídia da Revista Veja e do Conexão Manhattan, está desenvolvendo um trabalho especial para o período da Copa do Mundo junto à Rádio Jovem Pan de São Paulo.

A "vunvunzela humana", como ele mesmo se define, disse que será "...a nossa melhor Seleção de 2009, jogando a Copa de 2010".

Apresentando o ponto de vista que lhe é peculiar, aguçado na ironia, Diodo Mainardi fará (está fazendo) a função de contra-ponto jornalístico às notícias referentes ao Brasil na Copa; diferente da proposta da Rede Globo, que segue "endeusando" o evento e seus protagonistas tupinikins.

Segue, abaixo, o podcast do último comentário de Diogo Mainardi, postado no site da JovemPan, datado de 09/06/2010; IMPERDÍVEL!!!


Todos os podcasts de Diogo Mainardi: http://jovempan.uol.com.br/copadomundo/diogomainardi

2 comentários:

  1. Joelmar says:

    gosto muito do blog, mesmo que eu leia alguns de seus artigos com certo atraso como é o caso deste que comento agora, mas antes de falar sobre diogo mainardi, sim em letras minúsculas por favor, seja para o bem ou mal da pessoa deste indivíduo, lembro sempre de um blog que cito agora http://fora-diogo-mainardi.blogspot.com/.
    abcs

  1. Joelmar says:

    abaixo transcrevo um email sobre este sujeito
    Texto Enviado

    Não tenho medo do próprio Diogo Mainardi, que considero covarde. O que está acontecendo é que boa parte dos jovens da classe média estão engolindo esse discursinho fascista do infeliz. Virou moda ser reacionário no Brasil, e isso dá medo. O que dá medo também é que esta revista Veja medíocre, vende como água, investindo em polêmica, fofoca e mentira. Como se não bastasse, ela abre espaço para este cretino integralista e isso vai se tornando uma coisa bacana, uma gracinha para alguns. O que dá medo é que parte desta classe média que o acha uma gracinha, começa a se identificar com esse discurso, justo em um momento em que a democracia está consolidada.

    Em uma de suas colunas antigas, no tempo em que ele não podia escrever contra o presidente (que na época era o FHC) o estúpido fez uma resenha sobre o livro "A hora da estrela", de Clarice Lispector. Lá por umas tantas, ele lamenta que o nosso "Apartheid" não funcione mais como antigamente, de modo que ele e sua classe social (ele já disse que é um dos arautos da classe alta) precisam conviver com pessoas como a personagem principal do livro, Macabéa, uma nordestina pobre e sem saúde, que vai tentar a vida no Rio de Janeiro como datilógrafa. Não é preocupante? Não é de dar medo?

    Enviado por: Email.asletra@yahoo.com.br