Avatar: Definitamente, Arte e Cinema Juntos!

Posted: terça-feira, 16 de fevereiro de 2010 by Emmanuel do N. Sousa in
1


Eu pensei que, deixando para ir ao cinema no feriado de carnaval, aproveitaria o conforto da sala de cinema do Multiplex de Campina Grande reservado, apenas, a pouquíssimos expectadores retardatários do maior fenômeno cinematográfico recente: ledo engano!

Terça-feira de carnaval, 17:30hs, finalzinho da tarde, quase dois meses desde sua estréia... mas, lá estava uma lotação completa da sala de exibição, com direito a pessoas acomodadas (sic!) em pé para delirar com o “show” de filme nos oferecido por James Cameron.

Avatar nos leva ao Planeta Pandora, à bordo das naves batedoras terráqueas que saqueiam o rico mineral existente no subsolo daquele mundo, valendo-se de técnicas bélicas para tal intento, uma vez que as primeiras tentativas diplomáticas não obtiveram pleno êxito anteriormente.

O impressionante jogo de luzes e cores empregado pela equipe de cenografia e efeitos especiais nos insere no mundo de Pandora através do Projeto Avatar: possibilitando a transferência da consciência humana para um clone desenvolvido especialmente para este fim, à base do DNA nativo, somado ao DNA do terráqueo que o incorporará.

Guardada as devidas proporções, é uma espécie de “Second Life”, onde uma pessoa assume uma segunda personalidade, conduzindo seus desígnios vitais, de forma paralela, enquanto se mantém inerte em câmaras de hibernação induzida.

O ineditismo do roteiro de Avatar está em mostrar os terráqueos como “os visitantes”; os hostis dentro de um contato de 3º grau. É o contrário dos grandes filmes já desenvolvidos sobre relações extraterrenas, onde somos os visitados e, conseqüentemente, os hostilizados!

A grandiosidade da obra cinematográfica, como um todo, é digna SIM de todos os méritos cinematográficos: roteiro, fotografia, elenco, direção.. enfim, estamos diante da grande obra do cinema, que desbancou o recorde de bilheteria detido pelo filme “Titanic”, coincidência ou não, outro filme do conceituadíssimo diretor James Cameron.

Aos que, assim como eu, absorveram cada segundo da arte provida por Avatar, delirando com as espetaculares cenas de ação e fantasia protagonizadas por Sam Worthington, Sigourney Weaver e Zoe Saldana, salientando ainda o efeito 3-D, vale saborear as lembranças e torcer para que esta produção obtenha os conceitos necessários junto à Academia de Cinema de Hollywood, vertendo-os em Oscars; tantos quantos esta magnífica obra da Sétima Arte esteja apta a obtê-los.

1 comentários:

  1. J. Junior says:

    Meu caro Emmanuel, ainda nao assisti ao filme mas fico imaginando e voltando um pouco no tempo; a ...alguns... anos estavamos nos no velho BABILONIA ( ha! aquilo sim era um cinema de verdade ) desde a desativação daquela "tela" nunca mais assisti a nenhum filme em uma destas novas "salas". Nao esqueço de quando fomos assistir a um grande espetaculo: ROBOCOP, Lembro que sentei no chao na frente da tela. Voce deve lembrar.