"Já Podeis da Pátria, Filhos!"

Posted: domingo, 13 de setembro de 2009 by Emmanuel do N. Sousa in
4


É evidente que não dispomos de indicativos técnicos que constatem o fato, mas é indiscutível que o Brasil passou “folgado” pela crise financeira internacional que teve sua origem nos EUA e expandiu-se por todo o globo, através de um efeito cascata.

Quando digo que passamos “folgado” pela crise entendamos o fato de quê, em momento algum, termos ouvido falar em recessão na nossa economia. Muito pelo contrário, contamos com uma política de governo que, com visão de futuro, preparou nosso mercado para “receber” o momento crítico com um certo “conforto”.

Confesso que hoje em dia sou um entusiasta do Presidente Lula e da competência demonstrada pela equipe econômica dos Ministérios do Planejamento e da Fazenda.

Somos o 5º maior país do mundo em extensão, conseqüentemente um dos maiores mercados consumidores mundiais. Porém, a soberania do mercado fabril nacional superou, na circunscrição interna, a inconstância do mercado consumidor externo durante os últimos meses.

O consumidor brasileiro foi “brindado” com algumas medidas econômicas que visaram diminuir o impacto que a crise mundial causaria nas grandes indústrias, como por exemplo, as montadoras de veículos.

Uma dessas medidas foi a “renúncia” de Receita promovida pelo Governo Federal no que tange ao IPI aplicado aos veículos automotores e aos eletrodomésticos da chamada “linha branca”. Essa medida alavancou o mercado consumidor interno dessas duas linhas de produção, proporcionando o aquecimento da economia entre as classes A, B e C.

Aliando-se aos fatos anteriores, cito como principal fator para que nossa economia não sucumbisse à crise, os populares “vales” do assistencialismo promovido pelo Governo Lula, como o Bolsa-Família que manteve as economias locais girando, proporcionando a manutenção do consumo e o poder de compra dos classes D e E evitando, assim, que os vendedores varejistas também viessem sentir os efeitos macro da crise mundial.

A verdade é que, doa em quem doer, a equipe econômica do Governo Lula demonstrou total capacidade de antevir aos grandes impactos financeiros, tornando o Brasil uma economia altamente firme, estruturada e visivelmente “invejada” por outras grandes potências mundiais.

Vivemos um período áureo em que nosso País é visto como nunca assim o fora preteritamente com uma economia estável, uma moeda forte, um consumidor responsável, um governante admirado pelo Presidente dos EUA...

Enfim, subtraindo os escândalos políticos de caráter individuais, nosso Brasil nunca foi tão estável no conjunto dos fatores positivos.

Isso sem falar, ainda, no “pré-sal”!

Esse será um assunto para o futuro, até porque, aí está o primeiro passo para nos tornar uma grande potência mundial, definitivamente!

“Já podeis da Pátria, Filhos!”

4 comentários:

  1. NO campo da economia, diplomacia, relações internacionais, o governo Lula tem sido realmente marcante para a história do país.

    Eu sou simpático a esse governo, infelizmente teve os seus escandálos, que ainda bem mostrou também que se é mais fácil expor os demandos governamentais nos dias de hoje (coisa que na epoca FHC tb tinha e nao se via na midia), ou será pura perseguição também politica?

    Confesso que não gosto da idéia de Dilma no Poder, preferia o Palocci (e seria ele se nao tivesse sido mais um dos escandalos).

  1. André Ayres says:

    Assim como vc, tb sou entusiasta do Governo de Lula.
    Concordo com o que vc expõe.
    Abraços

  1. Jessica says:

    Caro Emmanuel...

    Concordo plenamente com cada palavra sua nesse artigo.
    E tem mais, o meu voto é seu em 2012...
    kkkkkkkkkkkkkkkkk.
    bjos

  1. J. Alves Junior says:

    Caro Mane,

    Sabes que sou suspeito a comentar este texto, mas nada me deixa mais fatisfeito do que ver que muitas das pessoas que la em 2002 nao acreditavam que um "analfabeto" como muitos o ridicularizavam, hoje o reverenciam.

    Nao esquecamos tambem quando de sua "promessa" de que encerraria seu mandato deixando os brasileiros com um salario minimo de R$ 500,00. Quem esta acompanhando a evolucao deste governo, ja sabe que a partir ja de JANEIRO de 2010, ja teremos um minimo de R$ 506,00.

    Concordo com o companheiro Marcelo quando posta que Dilma nao seria o nome do momento, mas prefiro acreditar que junto a ela teremos uma equipe ainda mais forte para dar continuidade ao belo trabalho desenvolvido no periodo 2002/2010.

    Estou junto com a companheira Jessica. 2012 esta chegando e certamente estaremos orgulhosos em divulgar seu nome.

    Junior
    Brother