Já Estava Demorando!!!

Posted: sexta-feira, 7 de agosto de 2009 by Emmanuel do N. Sousa in
1

Faltava muito pouco para que os ânimos dos ínclitos senadores da República se exaltassem à níveis pessoais e se promovesse uma nova “lavagem de roupas sujas” tal qual tivemos à época do escândalo do Mensalão.

Ontem o Senado Federal patrocinou mais uma disputa entre os senhores de paletó e gravata, representantes da Nação em escala maior; Renan Calheiros (PMDB-AL) e Tasso Jereissati (PSDB-CE) protagonizaram um bate-boca acalorado, repleto de acusações mútuas, numa clara falta de compostura, ética e condução moral sem falar, claro, no desrespeito aos colegas e aos expectadores da sessão (plenário e TV).

Tudo começou com a infeliz presença de um cidadão que, sentado às tribunas de honra (pasmem!) lançava piadas e ironias em direção ao plenário, levando o senador Tasso Jereissati a solicitar da presidência que o mesmo fosse retirado do local.

Com o clima constantemente aquecido entre os senadores tem se precisado de pouco pavio para acender o estopim. Com isso, Renan Calheiros aproveita a “deixa” e, claro, foi um show de impropérios mútuos:

Tasso: "eu pediria que retirassem esse senhor aqui que está fazendo constante manifestação aqui porque não está de acordo com o regimento."

Renan: "a respeito da manifestação do senador Tasso Jereissati. Essas crises acontecem por isso. É a minoria com complexo de maioria, quer expulsar agora um cidadão que está aqui participando da sessão que é uma sessão infelizmente histórica do Senado Federal".

Tasso: "ele não está participando, a tribuna de honra não pode ficar fazendo piada aqui. Me desculpe senador Renan."

Tasso: "senador Renan, não aponte esse dedo sujo pra cima de mim. Não aponte esse dedo sujo pra cima de mim. Estou cansado das suas ameaças."

Renan: "o dedo sujo infelizmente é o de vossa excelência. São os dedos dos jatinhos que o Senado pagou."

Tasso: "pelo menos era com o meu dinheiro, o jato é meu, não é o que o senhor anda dos seus empreiteiros."
Renan: "o dinheiro é seu?"

Tasso: "é meu, é meu, é meu e eu tenho para provar."
(Fora do microfone, Renan chama Tasso de coronel)

Tasso: "eu coronel? Cangaceiro, cangaceiro de terceira categoria".
(Renan fala algo fora do microfone)

Tasso: "repete o que você disse aqui. O decoro parlamentar... repita o que você disse aí."

Renan: "você não é coronel de nada. Me respeite. Você é minoria com complexo de maioria.
Me respeite."

Tasso: "saiba de uma coisa, meu respeito é zero."

1 comentários:

  1. André Aires says:

    Mas é isso mesmo! De vez em quando a gente vê as tapas lá no Congresso Coreano e Japonês!
    kkkkkkkkkkkkkkkk
    Eu quero é ver a descompustura desses homens de máscaras!