Michael Jackson, R.I.P. (Decanse em Paz)

Posted: sexta-feira, 25 de junho de 2010 by Emmanuel do N. Sousa in
5

Quando se completa um ano da partida do Rei do Pop para ninguém sabe onde, reproduzo o texto publicado em 07 de Julho de 2009, em homenagem ao grande ídolo da música mundial:


Agora, sim: O Rei do Pop se foi...

Através de uma cerimônia até certo ponto discreta, foi realizado o chamado “velório” aqui para nós no Brasil, o Tributo, ou Réquiem para os norte-americanos.

Apesar de termos acompanhado um show artístico, o tributo em nada se assemelhou a um mega-evento ou, quiçá, um espetáculo circense como profetizara Elizabeth Taylor, amiga íntima do cantor.

Na verdade, neste momento, todo o mundo se redime, através de choro contido, ou até incontido, reverenciando o Michael Jackson astro, o Michael artista, o Michael “The Guy”, em um tímido sentimento de culpa pela imagem que fora criada para o ídolo, pela imprensa mundial.

Parece que a mídia, agora, que descobriu os bons adjetivos do Rei do Pop!

Nunca foram vistas tantas imagens, nunca se ouviu tanto (relativamente falando) as músicas do cantor desde sua composição no grupo Jackson Five até o mega-estrelato solo em aproximadamente 40 anos de carreira, que tratassem do Michael artista e, não, das polêmicas proporcionais à sua grandeza.

Como dizem os antigos, é preciso que se morra para que sejam externadas as qualidades de um homem.

No mundo globalizado, as notícias passam por um processo de filtragem onde só se publica o que se vende. A imprensa sensacionalista rodeia o mundo das celebridades provendo o consumismo fútil ao redor do globo.

Em 50 anos de vida, Michael Jackson, o “Peter Pan” dos tempos modernos, demonstrava a carência de um homem que teve a infância usurpada: morava em uma propriedade com um castelo que tinha um parque de diversões nos jardins, chamado “Neverland”, a Terra do Nunca.

Nesse ínterim acumulou os maiores ápices como cantor nos anos 80, apostando na carreira solo e, após o lançamento do álbum “Thriller” que vendeu mais de 700 milhões de cópias ainda em vida!

Na primeira semana após sua morte, seus produtos venderam 40% a mais, levando as lojas especializadas a se desfazerem de todo e qualquer estoque de CDs do cantor.
Como já é esperado, Michael Jackson continuará vivo no coração dos fãs, eternizado em suas canções, enquanto jaz no mundo de faz de conta do qual tanto sonhou permear em vida.

5 comentários:

  1. Iza says:

    Apesar dos pesares,adorei seu texto....q ele tenha a paz que nunca teve em vida!!!!

  1. Adriano Freire says:

    É inegável que mesmo em meio a tantas turbulências muitos devem sentir a dor na consciência revelada a travéz de "um tímido sentimento de culpa pela imagem que fora criada para o ídolo".

    Belas palavras... deixo apenas um trecho de uma músic que me marcou e me marca muito: "Make A Little Space Make A Better Place... For You And For Me..." Como seria bem que constríssemos um mundo melhor para toda a raça humana...

    Fica com Deus Manneh! Abração, amigo!

  1. Alexandra Travassos-SP says:

    Como sempre, grande texto, Emmanuel. Neste, resolvo parabenizar-lhe através desse comentário.
    Você diz uma grande verdade: nós todos sofremos da dor de consciência por cultivarmos, apenas, o MJ polêmico qua a mídia nos impôs.
    Poucas vezes tivemos a oportunidade de consumi-lo cmo grande astro que foi e continuará sendo!

  1. Anônimo says:

    Michael Jackson te pegou Manneh?

  1. vandre says:

    Acho que nunca vai se ver tanta comoção e se sentir tanta tristeza por alguém(celebridade) como vimos na morte de Michael, o que ele fez foi fantástico e tenho certeza que o que ele deixou para os fãs será eternizado em seus corações!!!

    Vandré Guevara