A Gripe Suína já é Realidade no Brasil

Posted: quinta-feira, 30 de julho de 2009 by Emmanuel do N. Sousa in
2

O Brasil vive a expectativa e a tensão de uma pandemia mundial, o vírus H1N1, popularmente chamada de “Gripe Suína”.

A gripe “A” já é realidade no país. Até o dia 28 de Julho, 60 pacientes que desenvolveram o vírus foram à óbito por conta das conseqüências promovidas pela gripe. Destes, 29 foram registrados no estado de São Paulo e 21 no Rio Grande do Sul.

Inclusive, um dos casos de morte fora registrado em João Pessoa, no Hospital Lauro Wanderley, um estudante de enfermagem de 31 anos recém chegado da capital federal, acompanhado de cerca de outros 30 universitários participantes de um congresso da UNE.

Até alguns meses, o Brasil contava com pseudo casos e casos esporádicos de brasileiros egressos de países considerados epicentros da, até então, epidemia da nova gripe. Hoje, porém, já contamos com transmissão direta... agora sim, gerou preocupação do Governo Federal.

O Ministério da Saúde insiste nas campanhas de esclarecimento, em uma clara tentativa de evitar um estado de pânico em todo o país. É comum as autoridades “tranqüilizarem” a população quanto às formas de contágio e prevenção (se é que existe prevenção).
Até a comunidade eclesial já participa das campanhas; por determinação da CNBB, a Confederação Nacional dos Bispos do Brasil, ritos tradicionais das celebrações católicas, como abraço de paz e orações com mãos dadas, estão sendo evitados a fim de reduzir o contato entre os fiéis e, conseqüentemente a disseminação do vírus.

Dia após dia os casos só aumentam. Ainda não temos motivo para pânico mas, devemos ter sim, a consciência de que estamos expostos a um novo mal de fácil contaminação e de conseqüências graves para o infectado.

Para isso, devemos proceder da maneira que as autoridades governamentais do setor de saúde indicam como sendo a forma mais eficaz de evitar que, em nível nacional, esta epidemia não se torne uma pandemia.

2 comentários:

  1. D@ni says:

    Xiii, lá vou eu ter que discordar de vc Manneh. Olha, texto muito bem escrito, com verdades absolutas e incontestáveis, porém, lá no finalzinho vc diz claramente que atribui ao ECA. Pôxa, sou Pedagoga e estudo o ECA quase que diariamente, além dos quatro anos dentro da universidade, outros tantos dentro de creches públicas, Abrigo do Menor, Conselho Tutelar. É certo que nesse país tudo acaba se transformando no que o poder quer e assim eles acabam tumultuando e encontrando brechas nas leis. E é isso que tão fazendo com o ECA, pq ao contrario que muitos pensam e andam falando, o Estatuto não "acoberta" nem deixa impune quem comete crimes, muito pelo contrário, mas surge como uma opção diferenciada para aqueles que ainda crianças ou adolescentes, se encontram já no mundo do crime.
    Bem, respeito sua opinião, que já parece está formada, mas deixo aqui a minha, com um pouquinho de conhecimento de causa.
    Abraço

  1. D@ni says:

    Xiii, lá vou eu ter que discordar de vc Manneh. Olha, texto muito bem escrito, com verdades absolutas e incontestáveis, porém, lá no finalzinho vc diz claramente que atribui ao ECA. Pôxa, sou Pedagoga e estudo o ECA quase que diariamente, além dos quatro anos dentro da universidade, outros tantos dentro de creches públicas, Abrigo do Menor, Conselho Tutelar. É certo que nesse país tudo acaba se transformando no que o poder quer e assim eles acabam tumultuando e encontrando brechas nas leis. E é isso que tão fazendo com o ECA, pq ao contrario que muitos pensam e andam falando, o Estatuto não "acoberta" nem deixa impune quem comete crimes, muito pelo contrário, mas surge como uma opção diferenciada para aqueles que ainda crianças ou adolescentes, se encontram já no mundo do crime.
    Bem, respeito sua opinião, que já parece está formada, mas deixo aqui a minha, com um pouquinho de conhecimento de causa.
    Abraço