O Retorno do Promissor!

Posted: sexta-feira, 27 de março de 2009 by Emmanuel do N. Sousa in
0


E, depois de alguns anos, eis que me empolgo para o início de mais uma temporada do Campeonato Mundial de F-1.

Depois da “Era Schumacher” a Fórmula 1 tomou o rumo do ostracismo e da monotonia. A falta de talento (ou quem sabe, competência) na categoria levou o alemão a destruir toda e qualquer possibilidade de rivalidade entre os pilotos “de ponta” enquanto dominou cinco, dos sete campeonatos conquistados.

Nesse ínterim vibramos com a ascensão do então promissor Rubens Barrichelo ao posto de segundo piloto da equipe Ferrari. Infelizmente, esse período não lhe trouxe as benéfices que uma equipe como a Ferrari poderia render a qualquer piloto, desde que não fosse o companheiro de Michael Schumacher!

A ausência de pilotos brasileiros em condições de disputar vitórias e títulos durante esses anos do domínio Ferrari/Schumacher fez cair vertiginosamente os índices de audiência das corridas e, conseqüentemente, o interesse geral pela categoria.

Nos últimos dois anos, Felipe Massa protagonizou bem na Ferrari, porém, a imaturidade o impediu de conquistar, pelo menos, um campeonato mundial.

Por outro lado, em 2008, assistimos a estréia do herdeiro do clã Piquet, o Nelson Ângelo, que pouco acrescentou aos mais aficionados fãs que não o viu brilhar, claro, salvas as inevitáveis comparações que seu sobrenome impõe!

A esperança de termos outro grande sobrenome de volta ao “circo” da F1 recaiu sobre Bruno Senna que ainda foi cogitado como novo piloto da equipe Honda para 2009. Porém, a crise financeira mundial fez com que a Honda fechasse sua divisão de monopostos e, conseqüentemente, seus prováveis pilotos Bruno Senna e Jenson Button ficaram “desempregados” com a inatividade da montadora a categoria.

Numa reviravolta impressionante, o então chefe de equipe, o conceituadíssimo Ross Brawn capitaneou o processo de compra da escuderia em nome dos funcionários, fazendo surgir a BrawnGP e, de quebra, re-integrando o experiente Rubens Barrichello para trazer seus conceitos e acertos para o desenvolvimento do novíssimo carro batizado de BGP01.

Para quem já estava considerado ultrapassado e “aposentado”, Rubinho fez os melhores tempos nas semanas de testes no circuito de Jerez De La Frontera, devolvendo-nos o velho frio na barriga que sentíamos a cada pré-temporada à espera da formação do primeiro ‘grid’ de largada, contentando-nos com a possibilidade de uma estréia vitoriosa.

Neste domingo, na velha madrugada, também estarei alinhando de frente à TV, para mais uma abertura de temporada, desta que promete ressuscitar nosso Barrichas e, quem sabe, consolidar as carreiras de Felipe Massa e Nelson Angelo Piquet.

0 comentários: