A Reforma Ortográfica em Tempos de ‘Chats’

Posted: sábado, 31 de janeiro de 2009 by Emmanuel do N. Sousa in
0


Com o objetivo de equanimar (sem trema!) a escrita nas nações que adotam a língua portuguesa - oito países no total - em 1º de Janeiro próximo passado entrou em vigor a nova regra ortográfica a ser adotada pelos brasileiros.

Entre as novidades, está a adição das letras “k”, “w” e “y” ao alfabeto oficial, passando a ser composto por 26 letras, o óbito do trema, ditongos abertos em palavras paroxítonas não são mais acentuadas (assembleia, colmeia, plateia), hiatos “oo” e “ee” também não têm mais acentos (creem, voo, enjoo), enfim, uma gama de regras chatas e enfadonhas que, para os que já se consideravam ‘alfabetizados’ trará um gigantesco desconforto em produções textuais futuras.

Todo esse dilema entre “antes” e “agora” das palavras trás um desafio ainda maior aos educadores, que têm de lidar com a difícil adaptação e posterior implantação definitiva das novas regras, ao linguajar do cotidiano juvenil repleto de contrações e invenções amplamente utilizadas nos ‘chats’ e ‘e-mails’ através da internet.

Enquanto estes mesmos educadores terão a obrigação pedagógica de reeducar (isso mesmo, sem hífen!) ou até mesmo reensinar a escrever algumas palavras, seus alunos desconsiderarão as lições escolares à cada momento em que sentarem-se em frente ao computador e digitarem a primeira saudação ao contato ‘on-line’ do MSN:

“Oi, td beim c/ vc?”

E, quem sabe, até o receptor responderá:

“Q nd, to naum!”

Acerca das novas regras ortográficas, alguns críticos portugueses acusam as medidas como sendo uma forma de “abrasileirar” a língua pátria lusitana. Porém, diante do cyber-exemplo acima, alguém crê que a busca burocrática por novas regras e mudanças bruscas na escrita é coisa de brasileiro?

A Sandice de Vené!

Posted: sexta-feira, 16 de janeiro de 2009 by Emmanuel do N. Sousa in
1


Parece que a sandice do prefeito re-eleito de Campina Grande, Veneziano Vital, ou do(s) seu(s) grão(s)-mestre(s), que almeja disputar o cargo de Governador do Estado nas próximas eleições está tomando contornos concretos.

O escavador dos bastidores políticos, o nobre jornalista Marcos Marinho, dissecou uma notícia bombástica na manhã desta sexta-feira (16): na certeza de que não obterá legenda para disputa do supra cargo permanecendo no PMDB (onde o partido já colocou o bloco, digo, a caravana, na rua e, à princípio, o senador José Maranhão já se posta como candidato natural ao cargo), o Cabeludo já estaria em processo de filiação ao ex-partido da moda, o PT do presidente Lula!

Pasmem!

Vale lembrar que, durante a campanha para re-eleição, publicamente (diga-se, através dos meios de telecomunicação) o prefeito-candidato nunca tocou no assunto. Mas seus mais acalorados assessores, inclusive o Coordenador Geral da campanha, seu irmão, o Deputado Vital Filho, o anunciavam, onde quer que chegasse, como “futuro Governador”.

É muita pretensão! A disputa em voga era uma re-eleição para prefeito que nem de longe prognosticava uma certeza de vitória, e seus “bajulartes” já o erguiam à condição de líder-mor da política estadual.

Pois bem! Para os que ainda apostavam que, àquela altura, elegíamos um prefeito para deter mandato para os próximos quatro anos (ou cinco como pretende o Congresso Nacional) , podem se contentar em tê-lo, por apenas alguns meses, e saudar “Vida longa ao Rei” ao nosso simpático vice-prefeito, o jornalista José Luiz Júnior que, ao alvorecer de 2010 já pode ir preparando sua plataforma de governo e demais ‘staff’ de colaboradores, porque, ao que tudo indica, os destinos administrativos de Campina Grande serão conduzidos por ele, já no primeiro semestre do ano vindouro.

Decepção para quem votou no cabeça de chapa. Mas fica a esperança de encontrarmos em Zé Luiz a ânsia de governar, com responsabilidade e determinação, aquela mesma que vimos no Cabeludo nos longínquos anos de 2005 e 2006, no princípio da sua gestão.

2009: Ano de Transição!

Posted: terça-feira, 6 de janeiro de 2009 by Emmanuel do N. Sousa in
0


Ao apagar das luzes do findo ano de 2008 (bem que nos áureos tempos da CELB, as luzes apagavam-se mesmo!), muitos foram os assuntos que pautaram os prognósticos sociais e políticos. Porém, nenhum deles é, ou será, pauta para 2009!

O ano ao qual as atenções estão voltadas está 365 dias à nossa frente: 2010!

Entre os principais eventos que já vislumbram expectativas entre os paraibanos e também nos brasileiros, estão as Eleições Gerais no Brasil e a Copa do Mundo na África, acontecimentos esperadíssimos onde todos os esforços políticos, esportivos e sociais ocorridos em 2008 convergiram para algum fim esperado para o já nem tão longínquo “2010 – O Ano em que faremos contato”.

Para que não vivamos o ano de 2009 tão sem sal, como promete sê-lo, analisemos a popular “folhinha” da parede do nosso escritório, ou da nossa cozinha, e nos planejemos para aproveitar todos os feriados generosamente distribuídos entre começos e finais de semanas.

Ademais, para 2009, são favas contadas:

1º. Dificilmente Cássio Cunha será afastado do cargo (Ah, TSE #$%$# duma figa!);
2º. Veneziano terá uma administração conturbada financeiramente (nota: João Dantas vai voltar pra Câmara, oh!);
3º. Zé Maranhão continuará especulando sobre a unidade das oposições (mesmo q já existam três pretensos candidatos a Governador);
4º. Lula não falará em 3º mandato (pensando consigo mesmo: “Ah, quem me dera!”)
5º. O Treze será mais um fiasco no Campeonato Paraibano (de novo?!?!);
6º. O Campinense lutará pra não cair logo no primeiro ano da Série B (tomara q caia!);
7º. A UEPB continuará tomando ‘baile’ da UFCG (só uma bomba resolvia!);
8º. A igreja continuará dando murro em ponta de prego (falta do que fazer!);
9º. Quem é pobre ficará mais pobre (lógica!);
10º. Quem é rico sonegará mais, e ficará mais rico (Ninguém tem culpa da desgraça alheia!)
Na medida do possível, tenhamos TODOS um bom ano de transição! Feliz 2009!!!