Parafraseando

Posted: quarta-feira, 17 de dezembro de 2008 by Emmanuel do N. Sousa in
0


Como seria bom se nós tivéssemos a liberdade de invadir aquela última sessão da Suprema Corte Eleitoral e falarmos, cada um de nós brasileiros, o quanto nos sentimos envergonhados em tê-los como detenedores da conduta ética e moral da política nacional.

Parafraseando o ínclito ministro Joaquim Barbosa, quando a Justiça atinge o estágio do descrédito, não adianta mais nada; está tudo acabado!

E esse estágio já se encontra ora evidenciado.

Julgamentos elevados corte, após corte, apenas recheia o espetáculo circence ao qual nos passamos a assistir passivamente, ao tempo em que determinados casos repercutem nos amplos espaços multimídia.

Aqui na Paraíba virou mania entre certa casta de políticos corruptos festejar do ridículo promovido pelos estágios recorrentes e vencidos, instância após instância.

E como parece fácil para eles quebrarem as regras do que é ético e moral em detrimento às 'brechas' cirscunscritas nas magníficas peças do Direito Jurídico!

Tudo isso é um escárnio!

(enquanto isso, a delinqüencia exacerbada toma conta das ruas campinenses em comemoraçao a mais um espetáculo mambembe ao qual protagonizamos, esta noite... como os palhaços do circo!)


0 comentários: