Salve a Promotoria de Uberlândia!

Posted: terça-feira, 21 de agosto de 2007 by Emmanuel do N. Sousa in
0


Taí uma atitude corajosa e desprovida de qualquer falso moralismo ou demagogia!
A promotoria da cidade de Urberlândia, juntamente com os órgãos públicos municipais, vêm desenvolvendo uma conscientização quanto à ‘mendicância profissional’.
Não sabe o que é isso?
Ora, quantos de nós não sabemos, de forma decorada, quem encontraremos na esquina de tal loja, ou no semáforo de tal rua? Quantos anos fazem que encontramos as mesmas pessoas esmolando nos mesmos pontos das ruas, praças e semáforos de Campina Grande?
Justamente, é isso que a promotoria de Uberlândia classificou de ‘Mendicância Profissisonal’, constatando que alguns chegam a receber a quantia de R$ 1.800,00 (Um Mil e Oitocentos Reais) apenas pedindo nas ruas.
Em Campina Grande, um trabalho científico pesquisado pelo Assistente Social José Alves de Sousa, inclusive já divulgado no Jornal da Paraíba, comprova esta mesma tese do vício do pedir por pedir. A maioria dos folclóricos pedintes da Rainha da Borborema já contam, inclusive, com um benefício do INSS no valor de um salário mínimo, principalmente os deficientes.
Em seu trabalho de campo, J. Alves chegou até a recolher várias vezes tais mendigos para os abrigos municipais, como tem feito a promotoria mineira, mas os mesmos teimavam em retornar às ruas à cada relaxamento do poder público. As populares ceguinhas da Livraria Pedrosa, tão famosas no cenário cinematográfico nacional (do documentário “A Pessoa é Para o que Nasce”) também se enquadravam no perfil avaliado e também eram recolhidas quando solicitada as ações do serviço social da Prefeitura de Campina Grande.
É fato relevante, também, a forma discreta com que o Governo Federal colabora com a formação de um tipo disfarçado de mendicância: as famigeradas Bolsas Renda e Bolsa Família.
São contribuições gratuitas do Governo para com as famílias de baixa renda do Brasil, sem exigir nenhum trabalho em troca. Apenas a frequencia dos filhos na escola.
Tomem-se por base as famílias mais pobres do nosso país, que agora têm motivos financeiros para por no mundo mais filhos, desemparados e sem perspectivas futuras, apenas para deterem-se do benefício legal, de fins eleitoreiros, patrocinado com o erário público.
A verdade é que mendicância é uma contravenção penal, punível com pena de 15 dias a 3 meses de reclusão!
Vamos afastar esse vício furtivo do nosso cotidiano.
Quem dá esmola, não dá futuro!

0 comentários: